Relação sexual durante o tratamento de infertilidade?

Em meu consultório, recebo diversas dúvidas sobre o tratamento de reprodução assistida. Uma delas está relacionada à prática sexual. A preocupação é muito importante, devido ao forte impacto na intimidade e sentimentos do casal.

A resposta para essa é dúvida é bem simples. Podem respirar aliviados! Na maioria dos casos as relações estão liberadas.

Há algumas questões interessantes que vou descrever nesse post:

Indução da ovulação da mulher
A medicação usada para contribuir com uma produção maior de óvulos, geralmente ocasiona o aumento no tamanho do ovário e, consequentemente, pode provocar desconfortos durante a relação.

Inseminação intrauterina
Recomendo  abstinência sexual de dois a quatro dias antes do procedimento da coleta de sêmen. Após a inseminação, as relações estão liberadas e podem até aumentar a taxa de sucesso, pois permitem que mais espermatozoides estejam disponíveis para fertilizarem os óvulos liberados.

Fertilização in vitro
É preciso atenção. Há um risco de ocorrer a gravidez múltipla inesperada, pois alguns casais podem engravidar espontaneamente, caso ocorra ovulação precoce. É também possível a ocorrência de gravidez em caso de relações extra-conjugais!

Relações sexuais durante o tratamento
Não há restrições até 48 horas antes da coleta dos óvulos. Relações sexuais na noite que antecede a transferência dos embriões não trazem nenhum perigo ao tratamento.

Coleta de sêmen
Para a coleta do sêmen, é recomendada a abstinência de dois a cinco dias. Se a abstinência for de períodos mais longos os espermatozoides podem ser imóveis, já em períodos mais curtos o volume pode ser comprometido.

Transferência dos embriões
Após a transferência dos embriões, recomenda-se abstinência até o dia do teste de gravidez ou em qualquer época, em caso de sangramentos.

“Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *